Teste e vídeo: Honda HR-V Touring vale o que cobra?

0
4


O Honda HR-V é um sucesso de público. O modelo é o SUV compacto mais vendido do mercado brasileiro e o que menos desvaloriza na hora de revender. Na gama do HR-V, a versão topo de linha Touring é oferecida por R$ 107.900, entregando alguns equipamentos a mais que a variante EXL: faróis e lanternas de LED, sensor de estacionamento traseiro, retrovisor interno antiofuscante e airbags de cortina (totalizando seis bolsas infláveis).

E se a tentativa foi associar o nome Touring ao Civic, a Honda acaba fazendo uma pegadinha com os consumidores já que não oferece o motor 1.5 turbo a gasolina de 173 cv de potência do sedã, o que torna o custo-benefício da configuração questionável. Sob o capô do HR-V Touring está o 1.8 16V flex aspirado de 140 cv das demais versões.

Em termos gerais, o HR-V Touring mantém os predicados das outras configurações. O desenho externo continua sendo um dos pontos positivos. Visto por fora, o crossover se destaca pelos vincos e o detalhe das maçanetas “escondidas” nas portas traseiras, destacando a esportividade visual. No HR-V Touring os conjuntos ópticos de LED reforçam esse apelo.

Por dentro, os acabamentos seguem o padrão Honda, utilizando materiais de qualidade e montagem das peças sem falhas, porém, com desenho simples e sem refinamento. Há revestimentos em material que imita couro com costuras feitas à mão, inclusive sobre o painel. O destaque fica para o console central flutuante, que separa o motorista do passageiro e ainda possui uma área inferior vazada com as entradas USB, HDMI, AUX e 12 Volts, dependendo da versão. Embora a solução pareça atraente em um primeiro momento, ligar as conexões nesse local exige certo contorcionismo.

No painel de instrumentos, similar ao do Fit, um mimo para quem estiver ao volante: o aro que circunda o velocímetro pode ser personalizado em sete cores (amarelo, laranja, vermelho, rosa, roxo, azul e branco). O restante do quadro segue com a iluminação branca.

O espaço interno do HR-V impressiona, já que oferece 437 litros no porta-malas e sistema de rebatimento dos bancos modular igual ao do Fit, que oferece uma série de combinações para aumentar a área para cargas. Ninguém passa aperto, na frente ou atrás.

Ao volante, o crossover agrada pela posição de guiar menos elevada do que a encontrada normalmente nos utilitários esportivos. Os 140 cv de potência e 17,3 kgfm de torque (disponíveis a 4.800 rpm) do motor herdado do Civic de oitava geração são suficientes para empurrar os 1.270 kg do crossover.O câmbio automático CVT agrada quem prioriza o conforto. A caixa de variação contínua simula sete marchas e tem funcionamento suave. No entanto, eleva demasiadamente o giro do motor quando é necessário entregar mais desempenho, comprometendo o conforto acústico dos passageiros.

Se na visão do mercado o Honda HR-V Touring parece um bom negócio, tendo em vista principalmente seu baixo índice de desvalorização, a realidade é diferente. Conforme citado no vídeo acima, pelos R$ 107.990 pedidos pela Honda é possível encontrar modelos mais potentes e completos, como o Hyundai Creta Prestige 2.0 de 166 cv (R$ 100.990), por exemplo; mais tecnológicos e econômicos, como o Nissan Kicks; partir para um SUV médio menos equipado, como o Jeep Compass Sport flex, que custa os mesmos R$ 107.990; ou ainda um modelo equipado com motor a diesel mais potente e econômico e com capacidade de encarar o fora-de-estrada, que é o caso do Jeep Renegade Custom 4×4 (R$ 108.990). Neste cenário, o que vale são as necessidades e preferências do consumidor, mas fica difícil defender o custo-benefício da versão topo de linha do HR-V diante do que a concorrência oferece.

Teste Carsale-Mauá

 

Gasolina

Etanol

Consumo cidade 10,5 km/l 7,6 km/l
Consumo estrada 15,1 km/l 11,9 km/l
0 a 60 km/h 5,87 segundos 5,38 segundos
0 a 100 km/h 11,34 segundos 10,63 segundos
0 a 120 km/h 15,39 segundos 14,58 segundos
Retomada 40 a 100 km/h 9,29 segundos 9,05 segundos
Retomada 80 a 120 km/h 7,65 segundos 7,26 segundos
Aceleração em 400 metros 18,25 segundos – 131,43 km/h 17,76 segundos – 133,03 km/h
Aceleração em 1000 metros 32,71 segundos – 164,99 km/h 31,99 segundos – 167,21 km/h
Frenagem 100 a 0 km/h 53,9 metros 53,9 metros

Ficha técnica

 

 

Preço R$ 107.990
Motor Dianteiro, transversal, aspirado, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, flex
Cilindrada (cm³) 1.799
Potência 139/140 cv a 6.300 rpm
Torque (gasolina/etanol) 17,4/17,7 rpm a 5.000
Transmissão CVT
Tração Dianteira
Suspensão dianteira Independente tipo McPherson com barra estabilizadora
Suspensão traseira Eixo de torção com barra estabilizadora e molas helicoidais
Freios dianteiros Discos ventilados com ABS e EBD
Freios traseiros Discos sólidos com ABS e EBD
Rodas e pneus Liga leve de 17 polegadas, 215/55 R17
Direção Elétrica
Comprimento (metros) 4,29
Largura (m) 1,77
Altura (m) 1,58
Distância entre-eixos (m) 2,61
Volume do porta-malas (litros) 437
Tanque de combustível (litros) 51
Peso em ordem de marcha 1.276
Altura do solo (milímetros) 177

Fotos: Divulgação



Fonte: RSS UOL Carros